A Loja de Tudo – Resenha

O nome completo deste livro é “A Loja de Tudo: Jeff Bezos e a era da Amazon“, e como devem supor, ele é um misto de biografia de Bezos e história da Amazon, inclusive passando pelas aventuras espaciais de Bezos. Este livro eu ganhei de presente tem algum tempo, do André Ginghatti, CEO da WOW, aceleradora de startups que investiu no Busca Acelerada em 2013. A ideia dele é que a história do Jeff Bezos, e de como ele conduz a Amazon, fosse inspiradora para a forma como conduzia a minha startup.

O autor, Brad Stone, levantou depoimentos e documentos que atestam que Bezos era uma pessoa incomum desde a infância, sendo muito mais inteligente que a média das crianças. Também atesta que ele sempre foi viciado em trabalho e um negociador voraz, onde nunca aceita uma primeira oferta e muito menos um não como resposta a uma negociação. Chefe difícil, deve figurar a mesma lista de “pessoas difíceis de lidar” que Steve Jobs com certeza lideraria com folga. O livro revela diversas passagens do seu temperamento difícil e pouca empatia.

Como meu objetivo nunca foi descobrir como era o psicológico do Jeff Bezos, me ative à tentar compreender a sua dinâmica como diretor executivo. E o cara pensa grande, muito grande. Bezos nunca quis criar apenas uma empresa lucrativa, tanto que mais de uma vez não repassou dividendos aos acionistas para reinvestir o lucro na empresa, ele quer criar a maior empresa do mundo. Ele esgoela seus fornecedores até o último centavo para ter os preços mais competitivos da Internet.

Ao contrário das famosas empresas do Vale do Silício, a Amazon é frugal, inclusive sendo sediada em Washintong, e não na Califórnia. Bezos exige o máximo de todos funcionários e fornecedores, para entregar os produtos ao custo mínimo aos seus clientes. Eu, enquanto cliente, acho o máximo. Já comprei coleções de livros a metade do preço normal do varejo, aproveitando os saldões da Amazon. Se eu gostaria de trabalhar na Amazon? Não depois de ler o livro, hehehehe.

O livro também fala muito da criação da Amazon Web Services (AWS), gigante de cloud computing que impulsiona ainda mais o faturamento (e da qual sou cliente também, com o Busca Acelerada). Fala da criação da sua empresa espacial, um sonho de infância de Bezos. E de muitas outras conquistas pessoais e profissionais deste tenaz empreendedor.

Bezos queria criar a maior loja virtual do mundo, e conseguiu. Bezos decidiu usar a capacidade ociosa de seu datacenter para vender cloud computing, e conseguiu. Ao que parece, a única empreitada que ainda não deu certo é sua empresa espacial, mas talvez seja apenas uma questão de tempo, não é mesmo? Leia e tire suas próprias conclusões.

O que achou desse artigo?
[Total: 7 Média: 3.6]

Publicado por

Luiz Duarte

Pós-graduado em computação, professor, empreendedor, autor, Agile Coach e programador nas horas vagas.