Império dos Apps – Resenha

Recentemente estive na Livraria Cultura em Porto Alegre para tirar o atraso de leitura que já me perseguia algum tempo. Como rato de livraria que sou, minha lista de livros para ler estava ficando grande demais e resolvi comprar alguns. Não queria um livro de programação (que aliás nunca comprei nenhum) mas queria um livro que falasse sobre desenvolvimento de apps de um modo geral. Foi quando encontrei o Império dos Apps, de Chad Mureta.

Ganhe dinheiro, aproveite a vida e deixe a tecnologia trabalhar por você

Esse é o lema do livro, logo abaixo do grande título sobre a capa cheia de ícones simbolizando apps. O livro relata a grande virada na vida do autor, que quase morreu em um acidente de carro e teve seu braço e confiança mutilados. Chad decidiu que aproveitaria melhor a sua “nova chance” e acabou conhecendo por acaso o mercado de apps graças à uma revista emprestada. Com U$1500 emprestados ele investiu no desenvolvimento de seu primeiro app e deu início à sua empresa chamada Empire Apps, daí o nome do livro.

Discípulo do Tim Ferriss

Em outro post de resenha aqui do blog comento do excelente Trabalhe 4 Horas por Semana, de Timothy Ferriss. Enquanto lia O Império dos Apps notei muita semelhança no discurso de Chad e lá pelas tantas descobri o motivo: Chad leu o livro de Tim e é uma das poucas pessoas que já ouvi falar que realmente aplicaram o método dele de lifestyle business, microaposentadorias, infoprodutos e tudo mais. Chad não chega ao extremo de terceirizar todas suas tarefas, mantendo uma equipe focada em desenvolver seus aplicativos em sua própria empresa, mas pegou o que há de melhor no método de Trabalhar 4 Horas por Semana e aplicou em seu negócio de apps, hoje um enorme sucesso com mais de 46 aplicativos no portfólio e mais de 50 milhões de downloads na App Store.

Técnica e muita Prática

O livro de Mureta é muito prático e cheio de exemplos. Ele cita os números que obteve, as pesquisas que realizou e os apps que pagou para desenvolvedores contratados por ele desenvolvessem. Sim, Chad não é um desenvolvedor, ele era um corretor de imóveis antes de entrar neste mercado e mesmo que você seja um, ele não aconselha que desenvolva seus próprios apps. O motivo? Como CEO de uma empresa de apps (que ele chama de appreendedor) o seu foco deve ser gerir o negócio, contratar as pessoas certas e fazer o marketing dos apps. A estratégia como um todo, e não a operação. E isso faz todo sentido.

Mesmo que não queira construir um império dos apps assim como o autor, muitas das técnicas abordadas no livro são extremamente úteis como pesquisa de mercado, o ciclo construir-medir-aprender assim como no Lean Startup (que já mencionei em outro post), a análise da concorrência, modelos de negócio para apps e muito mais. É uma leitura recomendadíssima para startupeiros do ramo de apps, na minha opinião.

Sem milagres

Ao contrário do que muitos podem pensar, Chad não força a barra dizendo que todos podem ficar ricos da noite pro dia criando um app mágico. O slogan do livro é apenas marketing e seu conteúdo deixa claro que criar uma empresa de apps sustentável e duradoura requer muito foco e disciplina. É preciso lançar muitos apps para construir uma cadeia de valor que gere uma renda constante capaz de manter uma empresa, sem contar que muitos dos apps irão fracassar como o próprio autor experimentou mais de uma vez. Chad não encoraja ninguém a tentar criar o próximo Clash of Clans, mas sim em aproveitar as tendências do mercado e criar os apps que as pessoas estão buscando para, obviamente, lucrar com eles. Esse posicionamento pragmático foi o que mais me chamou a atenção no livro e me fez dar mais valor aos ensinamentos de um empreendedor de sucesso que hoje lidera algumas empresas bem sucedidas deste mercado.;

Ou seria melhor dizer, appreedendor? 😉

O que achou desse artigo?
[Total: 7 Média: 4.7]

Publicado por

Luiz Duarte

Pós-graduado em computação, professor, empreendedor, autor, Agile Coach e programador nas horas vagas.