Startup de Jessica Livingston – Resenha

O nome do livro é extremamente clichê: Startup, mas o conteúdo não. Ao menos não para mim, na primeira vez que li este incrível livro. Mas antes de falar do livro, deixa eu falar da autora, que na época que li, era uma desconhecida para mim: Jessica Livingston. Ela não é nada mais nada menos do que uma das fundadoras da Y Combinator e é casada com outro fundador e guru das startups, Paul Graham. Para quem não conhece a Y Combinator, ela é uma aceleradora de startups, uma empresa que ajuda as startups no estágio inicial e até mesmo investe nelas, considerada por muitos como a mais eficiente do mudo. Lar de startups como Stripe, DropBox, Weebly,  MixPanel, Reddit, AirBnB, Heroku, Instacart, Docker, Twitch.tv, Optimizely e muitas outras milionárias e bilionárias atualmente.

Eu já passei por uma aceleradora de startups, se quiser conhecer a minha experiência, dá uma olhada neste vídeo.

Resumindo o que quero dizer: Jessica entende muito do universo das startups, principalmente das bem-sucedidas, uma vez que ajudou várias delas.

Mas voltando ao livro, seu nome original é bem melhor: Founders at Work, mas por algum motivo a editora Negócios decidiu trocar o nome para ficar mais fácil do público entender do que se tratava. E de certa forma funcionou comigo, hehehe.

Do que se trata? De histórias de startups bem sucedidas. Mas calma, o tempero é um tanto diferente dos livros de cases que estamos acostumados.

Primeiro, Jessica selecionou algumas startups pouco conhecidas, ao menos não nos detalhes, mas muito bem sucedidas. Você sabe como foi criado o Hotmail? O Firefox? O Blogger? O Flickr? Digo, antes delas serem compradas pelos gigantes da Internet, quando eram MVPs nas casas dos seus fundadores.

Segundo, Jessica também pegou algumas startups mais famosas, como Apple e Yahoo!, mas ao invés de pegar as pessoas que já estão acostumadas a contar a história das empresas, como Steve Jobs para falar da Apple, ela selecionou, por exemplo, Steve Wozniak, o gênio inventor da Apple, mas que não é tão famoso quanto Jobs. Isso deu um novo “ar” às histórias, uma nova ótica, e achei sensacional.

Terceiro, as histórias estão muito bem escritas e não há qualquer estrutura. É claramente fruto de um bate-papo com os fundadores. Algumas histórias são grandes, com várias páginas. Outras, como a do Craigslist ocupam 2 páginas apenas. Isso torna o livro muito dinâmico, gostoso de ler e você não sabe o que esperar.

E por último, mas não menos importante, como não é uma narrativa única (como Os Bastidores da Internet no Brasil), mas sim várias histórias isoladas, você pode ler uma delas por dia, facilmente e sem culpa, durante vários dias, o que é muito prático.

Se dá para pegar alguns ensinamentos? Dá sim. Não muitos, pois a maioria das histórias e da época da bolha da Internet, mas é muito interessante a forma como as dores que essas empresas resolvem foram descobertas e depois como foram solucionadas até sem moldarem no que são hoje.

A título de incentivo para leitura, as startups cujas histórias são contadas são: Apple, RIM (BlackBerry), Hotmail, Pyra Labs (Blogger), Yahoo!, Gmail, Craigslist, Flickr, Adobe Systems, Firefox, Lycos, PayPal, Lotus Development, WebTV, ONElist, Bloglines e 37signals. Claro, é um livro antigo. Acho que hoje em dia ninguém entrevistaria a Blackberry, por exemplo, hehehehe.

E se quiser aprender com as minhas falhas, assista ao vídeo abaixo.

Pode ser encontrada à venda na Amazon.

Fica aqui a dica de leitura de hoje, até a próxima!

Publicado por

Luiz Duarte

Pós-graduado em computação, professor, empreendedor, autor, Agile Coach e programador nas horas vagas.