Resenha do Livro A Startup Enxuta

Atualizado em 04/06/2018!

Fazia tempo que não postava nenhuma resenha de livro por aqui, o que não significa que não tenha lido nada desde o último post a respeito. Muito pelo contrário! A resenha de hoje é fruto de uma sucessão de acontecimentos, primeiramente, voltei a me dedicar à minha veia empreendedora após realizar o excelente curso de Lean Startup com o pessoal da Semente Negócios e da Ionatec. Graças aos conhecimentos adquiridos no curso, consegui fechar o escopo da startup que tenho em conjunto com dois amigos, o Busca Acelerada (http://buscaacelerada.com.br), e lançamos o sistema em apenas 15 dias de desenvolvimento. Visando garantir um crescimento orientado pelas boas práticas do Lean Startup, acabei adquirindo o referido livro do autor do movimento: Eric Ries, que vale cada centavo.

O que é Lean Startup?

Eric Ries não inventou nada de novo exatamente, mas nos traz uma abordagem conjunta das melhores práticas de desenvolvimento de produtos orientados à geração, entrega e captura de valor. Fortemente baseado em práticas largamente difundidas como o Lean Thinking (Mentalidade Enxuta), Customer Development (Desenvolvimento de Clientes), Agile Methods (Métodos Ágeis), Business Model Generation, contabilidade para inovação, MVP e muitos outros conceitos, o Lean Startup refere-se a um grupo de métodos científicos para reproduzir o sucesso de startups conhecidas ao invés de apenas desenvolver um sistema e “ver no que vai dar”.

O autor prega que apesar do ambiente caótico dos negócios digitais, onde nem mesmo sabemos quem são nossos clientes ou o quanto pagariam por nosso serviço, existem sim maneiras de diminuir esses riscos e trazer um pouco de sanidade à mente dos empreendedores digitais. Mais do que um livro de criação de startups, A Startup Enxuta aborda de maneira extremamente completa e embasada em cases de sucesso, as melhores práticas para tirar uma idéia da sua cabeça e colocá-la no mercado em ciclos que ele chama de construir-medir-aprender, que são o motor de crescimento de qualquer startup.

Recomendadíssimo para quem tem mais idéias do que seu cérebro pode aguentar e menos tempo para pôr em prática do que gostaria. Que é o meu caso, hehehe. Pode ser encontrado na Amazon.

Aqui no blog já escrevi dois artigos sobre MVP embasados no livro e em experiências pessoais que podem lhe interessar: você sabe o que é um MVP e Criando um MVP na prática.

Mais Material

O livro em si é bem completo, mas ele próprio cita outras fontes, que também ouvi dos professores do curso que fiz. Além destas, reproduzo abaixo alguns links muito úteis na Internet para quem está buscando mais informação ou treinamentos sobre o assunto.

Está a fim de conversar a respeito de Agile, Lean Startup e/ou empreendedorismo?
Deixe comentários logo abaixo e vamos trocar idéias!

Relançamento do Busca Acelerada

Busca Acelerada

Boa noite pessoal. Hoje o post na verdade é um jabá descarado de um antigo projeto que só agora foi voltar ao ar: o Busca Acelerada (http://www.buscaacelerada.com.br).

Se eu tivesse que resumir do que se trata o site eu diria que é “O Google dos carros.”. Ok, é uma analogia meio pretensiosa mas é basicamente isso mesmo. A ideia é que as pessoas não tenham mais que entrar em diversos sites de anúncios de carros para encontrar o veículo que procuram. Você entra no Busca Acelerada, digita os termos que definem o carro que busca (marca, modelo, etc) e o Busca Acelerada lhe traz o resultado de dezenas de sites de classificados, em milésimos de segundo e com possibilidades de filtrar os resultados, ordenar, etc.

Por enquanto o projeto está em testes (beta) e somente está englobando os cerca de 5700 anúncios de veículos da cidade de Gravataí-RS (a minha). Ainda assim, eu gostaria que acessassem e dessem um feedback, seja aqui pelo blog, pela página do facebook (http://www.facebook.com/BuscaAcelerada). Em breve estarei, em conjunto de meus sócios Lucas Pfeiffer e Adriano Costa, expandindo o sistema para todo RS e posteriormente para todo Brasil. Então mesmo que não seja Gravataiense como eu, me ajude a construir a melhor ferramenta de busca de veículos do país.

Valeu!

Como desenvolver aplicações para iPhone com HTML, CSS e Javascript

Apache Córdova

No post anterior mostrei pro pessoal como desenvolver aplicações para Android usando o básico da web: HTML, CSS e Javascript, graças ao framework PhoneGap e seu contâiner web chamado Apache Cordova. Hoje pretendo mostrar a mesma aplicação HTML, com o mesmo botãozinho tosco que dispara um alerta, mas rodando sobre um iPhone. Não, eu não tenho iPhone, vou usar o simulador que vem junto do Xcode, a famosa IDE para desenvolvimento na plataforma da Apple (mobile e desktop). Um aviso para o pessoal que não entende nada da Apple: somente é possivel desenvolver para a plataforma do finado Steve Jobs usando o Mac OSX 10.5 ou superior. Ponto final. Nos exemplos estarei usando o Mac OSX 10.7 (Lion) com Xcode 4.3 (gratuito para quem possui o Lion).

PhoneGap

Eu já mencionei o dito-cujo no post anterior. Basicamente o pessoal da Nitobi, atualmente parte da Adobe, desenvolveu um framework iOS que se comunica com um servidor web mobile (Cordova), que por sua vez serve de contâiner para arquivos estáticos como HTML, CSS, imagens, Javascript, etc. Estes arquivos estáticos são chamados por uma aplicação em Objective-C criada pela Nitobi, como se fosse um browser acessando um site criado por você. Ou seja, independente da aplicação que você vai desenvolver, no fundo, o que é instalado é essa aplicação iOS básica.

Sei que já falei isso antes, mas será necessário baixar o PhoneGap no site oficial do projeto: http://phonegap.com/, descompacte o arquivo zipado e dentro da psta lib/ios você encontrará um arquivo .DMG com o plugin para Xcode, instale-o. Caso você não tenha o Xcode ainda, pode baixá-lo gratuitamente na App Store desde que possua uma licença do Lion (U$30 na loja americana ou R$90 na brasileira). Para conseguir baixar os simuladores de iPhone é necessário uma conta de desenvolvedor na Apple (pode ser a gratuita, pois usaremos os simuladores, a paga só é necessária para testes em dispositivos reais e publicação na App Store). Este plugin irá permitir a criação de um novo tipo de projeto, como mostra a figura abaixo:

Cordova Based Application

A Prática

Uma vez que você tem o Xcode com o plugin do PhoneGap instalado, crie um novo projeto do tipo Cordova-based Application, dê um nome ao mesmo, dê um nome ao pacote (no melhor estilo Java, tipo com.luiztools) e muito importante: desmarque a opção que diz “Use Automatic Reference Counting”. Caso contrário ele não irá compilar! A figura abaixo mostra este passo inicial:

Criando um projeto web para iPhone

Na sequência escolha o local onde o projeto será salvo e para ver se o Cordova está funcionando corretamente, clique em Run no Xcode. Ele irá disparar o simulador do iPhone que exibirá uma mensagem de que não foi possível encontrar a pasta www/index.html para ser carregada na aplicação. Adivinha então qual o próximo passo? Se você já tem a pasta www do post anterior, com o arquivo index.html e o phonegap.1.8.js, copie a pasta inteira para dentro da pasta do projeto do Xcode. Uma vez que a pasta esteja lá dentro, selecione-a com o mouse e arraste-a até o Xcode, soltando a mesma sobre o título do seu projeto. O Xcode pedirá que você confirme a referência da pasta e incluirá a mesma em seu projeto (semelhante ao que acontece no Visual Studio com o “Include in project”. No Xcode é possível dar uma editada no HTML se quiser, como mostra a figura abaixo:

Editando HTML no Xcode

O código HTML deste exemplo segue abaixo, caso não o tenha desenvolvido no post anterior:

Se você fez tudo certinho, quando clicar em Run, a aplicação será compilada e no simulador teremos o mesmo site do post anterior, mas desta vez em um iPhone! Ao clicar no botão, o javascript de alerta dispara uma caixa de mensagem nativa do iOS. Incrível não? A próxima imagem mostra o que esperar da aplicação.

PhoneGap no iPhone

Conclusão

Primeiro, é notável como o pessoal da Nitobi deu mais atenção aos desenvolvedores iOS ao criarem um plugin para Xcode e nenhum para Android. Também é notável como a mesma aplicação web (será que podemos chamá-la assim?) funciona de maneira idêntica em ambas plataformas, com o look-and-feel nativo (repare na forma como o botão e o alert foram renderizados nos dois exemplos). No final deste post você pode baixar o código fonte completo da aplicação caso tenha se equivocado e testar na sua máquina.

Embora muitos tenham achado os exemplos destes dois posts simplórios, programadores mais sagazes já devem ter percebido o leque de oportunidades que se abre com estas duas demonstrações toscas. Imagine o potencial deste framework nas mãos de um bom desenvolvedor front-end que entenda de…JQuery, por exemplo! Alguém aí pensou em aplicações que consomem conteúdos online? …