6 dicas para devs de bots para criptomoedas

Node.js

6 dicas para devs de bots para criptomoedas

Luiz Duarte
Escrito por Luiz Duarte em 11/07/2021
Junte-se a mais de 22 mil profissionais de TI

Entre para minha lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Eu comecei a desenvolver bots de forma amadora ali por 2008 e de forma profissional em 2010. De lá para cá tive a oportunidade de desenvolver vários deles, principalmente robôs de busca e desde 2017, robôs de investimento também. Recentemente voltei com força neste último segmento e até criei um curso exclusivo para ensinar a construir esse tipo de robô, além de uma série de vídeos gratuitos no Youtube e de tutoriais aqui no blog.

No artigo de hoje, quero lhe dar 6 dicas gerais, caso esteja pensando ou já esteja construindo um bot trader de criptomoedas, independente da tecnologia escolhida ou da exchange escolhida. Essas dicas também podem ser conferidas em formato de vídeo, logo abaixo.

#1 – Aprenda a fazer ordens manuais primeiro

A primeira dica pode soar um tanto óbvia mas vejo diversos alunos indo com muita “sede ao pote” e pulando uma etapa essencial que é aprender a operar manualmente a exchange para a qual pretendem criar o bot. Jamais comece a automatizar algo que você não entende como faria manualmente pois a chance de erro é enorme e quando estamos falando de automação de investimentos, esse erro pode lhe custar muito caro.

Sendo assim, crie a conta na sua exchange alvo e realize ordens de compra, de venda e tenha a experiência delas serem executadas, tanto como maker quanto taker, para entender os dois lados da moeda. Experimente os diferentes tipos de ordens e se possível, exercite alguma estratégia que lhe proporcione algum lucro, mesmo que pequeno, 1%, 2%, não importa.

Tendo uma estratégia por mais simples que seja, vai te mostrar onde começar automatizando com seu robô, vai te ambientar com os termos que a exchange usa, vai te forçar a estudar um pouco mais de investimento se você ainda não entende, etc.

Não adianta querer pular este etapa. Imagine que o robô é um carro esportivo. Se você não sabe dirigir um carro de passeio, que seria o home broker, vai dar de cara no primeiro poste quando pegar o esportivo! O robô potencializa a sua capacidade de ganhar dinheiro com criptomoedas, mas se sua capacidade for zero, ele não fará milagre.

Se está em dúvida sobre qual exchange escolher, eu recomendo a Binance.

#2 – Use a API oficial da sua exchange

Se você está pensando em criar um bot trader para uma exchange, a primeira coisa que deve verificar é se ela possui uma API oficial para isso. Caso contrário, esqueça qualquer ideia de automatizar operações nela pois você estará atuando de forma ilegal.

Ela tendo uma API a sua missão agora será devorar a documentação dessa API, para entender o que ela permite você fazer, que tipos de operações você conseguirá automatizar, que tecnologias terá de usar para construção do robô, os limites de uso para não ser banido da exchange, etc.

Pegando o exemplo que dei anteriormente, da Binance, toda a documentação da API REST oficial pode ser encontrada neste link.

Curso FullStack

#3 – Use as streams oficiais da sua exchange

Exchanges são aplicações de missão crítica em tempo real. As exchanges são acessadas por por milhares de usuários simultaneamente, recebem milhares de requests por minuto e processam ordens freneticamente 24h por dia. Tudo o que elas não querem é um dev mandando request inútil para elas o tempo todo, o que consome recursos computacionais preciosos.

Sendo assim, é comum que as exchanges possuam limites de uso das suas APIs e além de conhecer estes limites e respeitá-los, cabe a você entender qual o melhor caminho para conseguir ter um bot com boa performance ao mesmo tempo que fica dentro dos termos de uso. Uma saída costuma ser as streams oficiais da sua exchange.

Streams de dados são URLs que você se conecta via websockets e passa a receber informações a partir delas em tempo real. Ou seja, ao invés de você ficar requisitando uma API (polling) de segundo a segundo para saber de novidades, VOCÊ será requisitado pela exchange toda vez que uma novidade acontecer.

Nem todas exchanges disponibilizam streams de dados e a não existência delas pode comprometer enormemente a sua capacidade de construir bons robôs. No caso da Binance, são disponibilizadas várias streams, cuja documentação você encontra neste link.

Curso Node.js e MongoDB

#4 – Opere em uma exchange grande

O mercado de criptomoedas é gigantesco e existem exchange de todos os tamanhos e tipos. No entanto, bots beneficiam-se mais da maior volatilidade e volume de transações existentes em grandes exchanges. Quanto mais usuários ativos comprando e vendendo todos os dias, maiores serão as chances do seu bot encontrar boas oportunidades para você.

Além disso, grandes exchanges costumam ter um número maior de symbols ou coinpairs, consequentemente te deixando exposto a mais possibilidades de investimentos e até surfar algumas ondas e hypes de altcoins e shitcoins que eventualmente acontecem.

Neste ponto eu considero a Binance insuperável uma vez que possuem mais de 1.500 symbols diferentes para você operar e hoje são a maior exchange do mundo em termos de volume diário de transações.

Livro Node.js

#5 – Faça o básico bem feito

Para ganhar dinheiro com criptomoedas você não precisa ser um mega investidor que entende tudo de gráficos, indicadores, etc. Claro que tudo isso ajuda, mas antes de tentar estratégias mirabolantes, procure fazer estratégias simples de maneira bem executada.

Pegue indicadores simples de aprender como o RSI por exemplo, estude ele, bole uma estratégia e implemente ela no seu robô. Executando essa estratégia e tendo resultados com ela (positivos ou negativos) você irá gerar aprendizado e com isso irá melhorar a sua capacidade de executar estratégias cada vez melhores e mais elaboradas.

Não comece pelas complexas pois quanto mais complexa é uma estratégia, mais código e lógica terá de ser implementada e maiores são as chances de você ter erros na automatização da mesma. Códigos grandes e complexos são difíceis de corrigir falhas e isso certamente vai te frustrar.

Assim, minha quinta dica é aprender ou elaborar alguma estratégia simples, opere essa estratégia manualmente, veja como ela se comporta e depois automatize, aumentando assim enormemente as suas chances de resultado.

#6 – Aprenda a programar

Não existe desenvolvedor de bots que não tenha se tornado antes, desenvolvedor de software.

Um bot é um programa de computador como qualquer outro, independente da tecnologia escolhida. Programar um vai lhe exigir conhecimentos de algoritmos, de lógica de programação e uma boa base de alguma tecnologia boa para bots como Node.js e Python, por exemplo.

Voltando a analogia do carro, se você não fizer autoescola, não irá conseguir dirigir nem carro de passeio, quiçá um esportivo. Um robô é um carro esportivo, antes dele você tem de saber as bases de programação se quiser ser bem sucedido ou contratar alguém que saiba (infelizmente eu não desenvolvo para terceiros).

Independente do seu nível de conhecimento, meus livros e meus cursos podem te ajudar com esta sexta dica.

Agora, se você já tem uma base mínima, pode mergulhar na playlist abaixo do meu canal no Youtube e aprender comigo como criar bots e lucrar também!

TAGS: nodejs

Olá, tudo bem?

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.