TechEd Brasil 2011

Eu e alguns colegas que foram comigo

Eu sei que sou mestre na arte de postar assuntos defasados, mas aqui vai mais um.

Recentemente (29 e 30 de setembro) tive a oportunidade de participar do TechEd Brasil 2011, junto com alguns colegas da RedeHost. Para quem não sabe, o TechEd Brasil é o maior evento da Microsoft no país. Lá é onde são divulgadas as principais novidades da maior empresa de software do mundo nas áreas de Desenvolvimento e Infraestrutura. A RedeHost já é “figura tarimbada” no evento, temos participado desde 2008, inicialmente como inscritos e desde 2010 como patrocinadores. Junto com a empresa tive a oportunidade de participar das edições 2008, 2010 e 2011 e pude avaliar a evolução do evento.

Mas o que exatamente se vê no TechEd? De tudo um pouco. Na trilha de Desenvolvimento, me foco geralmente em assistir palestras sobre lançamentos de tecnologias ou sobre tecnologias que eu nem sabia da existência ou ainda, tecnologias que eu tenho preguiça de parar para estudar. Sobre lançamentos, assisti palestras de Windows Phone 7, ASP.NET Framework 4.5 e C# 5.0, só para citar algumas. A propósito, assistir palestras sobre lançamentos é o principal motivo da RedeHost participar do evento, pois lá temos acesso a informações privilegiadas. Só para citar um exemplo, em 2008 eu assisti uma palestra sobre o desenvolvimento da Task Parallel Library e do PLinq, que só foram incorporados ao .NET Framework na versão 4.0, lançadas no final de 2009. Ou seja, eu já sabia como usar e quais os benefícios um ano antes da versão final ser lançada. Neste ano, fiquei sabendo do Projeto Roslyn, algo como um Compiler-as-a-Service que deve ser liberado junto com o Framework 5.0 em 2012 (mas que já tem um CTP disponível para download), e que já está causando um certo barulho na comunidade de desenvolvedores. Será que poderemos desenvolver um concorrente ao Visual Studio com a liberação desses recursos do compilador?

Quanto às palestras que eu teria preguiça de procurar por mim mesmo na Internet, assisti algumas que falavam sobre a linguagem funcional F#, por exemplo. De forma resumida, imagine um Lisp.NET com grande poder para computação assincrona, hehehehe. Não sabe o que é Lisp? Então é hora de começar a estudar os paradigmas das linguagens de programação…Também assisti algumas palestras voltados ao design de aplicações para Windows Phone 7, o tão falado Metro Style que invadirá smartphones, tablets e até mesmo os desktops em breve, com o lançamento do Windows 8. A palestra inclusive era a única em que o palestrante utilizava um MacBook, hehehe. Não folgo no cara pois eu também uso um 🙂

Mas fugindo um pouco das palestras, a organização do evento estava boa como sempre. Infelizmente este ano tivemos apenas dois dias de evento, ao contrário dos três habituais. Isso fez com que eu pudesse assistir menos palestras do que realmente gostaria. Por um lado isso é bom, me obriguei a focar no que realmente importa para a empresa, deixando de lado as palestras de Silverlight, XNA e a maioria das palestras de Windows Phone 7. Ok, uma ou outra eu assisti, mas ninguém é de ferro, né! Pra variar eu participei de todos os sorteios e promoções que rolaram no evento. E para variar também, eu não ganhei nada. Meu colega Lucas Pffeifer (@lucaspfsd), do blog http://muitomaisque.net é que se deu bem, tendo ganho um X-Box 360 com Kinect em um dos sorteios da Microsoft. Dammit!

Para concluir, se você desenvolve ou administra tecnologias Microsoft, este é o evento que não pode faltar na sua agenda. É caro e é em São Paulo, mas vale a pena. Aqui na RedeHost a empresa banca todos os custos para alguns funcionários, como forma de premiação pelo bom andamento dos projetos, destaques entre as equipes, etc. Se a sua empresa não oferece esse tipo de benefício, está na hora de repensar seu emprego…