Dicas para eventos de Team Building

Team Building no Banco Topázio
Team Building no Banco Topázio

Você sabe o que é Team Building?

Team Building ou Construção de Times é o nome dado a várias atividades com o objetivo de integrar mais as pessoas e melhorar os seus relacionamentos em ambientes profissionais. Basicamente elas ajudam a transformar um grupo de pessoas em um time.

Embora construir times possa ser tão simples quanto organizar churrascos e jogos de futebol, a arte de conduzir dinâmicas específicas para team building aumenta e muito os resultados obtidos quando o assunto é construir times vencedores. Quando são bem executadas, é claro.

Com isso em mente e com a experiência de alguns eventos dedicados a esse assunto no currículo, o artigo de hoje foca em ajudar quem esteja buscando organizar.

Nós vamos falar sobre:

  • Preparação
  • Agenda
  • Local
  • Energyzer e Ice Breaker
  • Objetivo Central
  • Feedback
  • Repertório

Vamos lá!

Preparação

Eu dou aulas e treinamentos profissionalmente desde 2010. Certa vez me perguntaram como que eu conseguia fazer com que meus treinamentos durassem exatamente o tempo combinado, como que eu organizava tudo para que não sobrasse e nem faltasse tempo. A resposta é: planeje para o pior, espere o melhor. E isso começa com a preparação.

Absolutamente todas ocasiões que envolvam diversas pessoas sob sua responsabilidade (afinal, esperam que você conduza tudo com maestria) envolve muita preparação. E um team building não é diferente.

O primeiro passo é entender o objetivo do team building. Claro que, de maneira genérica, sempre podemos citar “construção de times”, mas dependendo do momento do time, você pode querer focar em um ou mais dos objetivos abaixo:

  • fazer as pessoas se conhecerem;
  • definir/redefinir papéis e responsabilidades;
  • aumentar a confiança/segurança/união;
  • aumentar a moral/motivação;
  • aumentar o foco na estratégia/negócio;
  • gerar aprendizados sobre um tópico em ambiente controlado;
  • remover crenças limitantes;
  • ressignificar problemas que o time esteja passando;

Com base no objetivo definido, você irá fazer o seu tema de casa usando os tópicos deste artigo como base. Obviamente nada substitui a sua experiência e minha ideia é apenas lhe ajudar com dicas. Certifique-se não apenas de ler todo este artigo e garantir que fez todo tema de casa citado em cada tópico, mas de realmente colocar o seu coração no team building, pois faz toda a diferença e engaja mais as pessoas nas dinâmicas.

Com base no que você irá fazer, liste todos os materiais necessários (muitas atividades exigem material de papelaria, por exemplo) e compre-os com antecedência. Se o evento durar mais que algumas horas, não esqueça de um pequeno coffee, mesmo que seja apenas água, café preto e biscoitos.

Faça um checklist de tudo que é necessário para o seu team building acontecer com 100% de sucesso. Coloque no papel inclusive o que você espera que gere de resultados no final do dia. Se prepare para imprevistos como ausência de algumas pessoas, estouro de timebox ou dinâmica que acaba antes do que o esperado.

O ritmo de um bom evento de team building é intenso, então prepare-se para poder beber bastante água (eleve uma garrafinha) e usar roupa confortável (principalmente tênis). O evento depende que a sua saúde e disposição estejam 100% e por causa disso, uma outra recomendação que eu deixo para você é pedir ajuda de alguém, não apenas para organizar mas para conduzir no dia.

Se você quiser investir, eu recomendo ter um apito, um passador de slides com laser e um cronômetro de LED. Eu uso os três em meus eventos e faz toda a diferença no profissionalismo e na praticidade.

Agenda

Estruturar uma boa agenda, independente da natureza da ocasião (team building, treinamentos, etc), é como escrever uma boa história. Deve ter início, meio e fim. Deve ter uma introdução que prepare as pessoas para que o vai vir, deve ter o clímax e deve ter um fechamento que maximize a experiência como um todo. Já ouviu falar na Jornada do Herói ou Monomito de Joseph Campbell? Ou então nos 3 Atos de Aristóteles? São estruturas de narrativa para construir boas histórias e podem lhe ajudar com o team building também.

Basicamente construir a agenda consiste em responder às seguintes perguntas:

  • como que vamos explicar o evento?
  • como que vamos começar o evento?
  • como que vamos tirar as pessoas da sua zona de conforto?
  • o que vamos focar neste team building?
  • o que queremos melhorar neste time?
  • teremos alguma pausa para descanso (geralmente no meio)?
  • como que vamos fechar o evento?
  • como que vamos re-energizar as pessoas se for necessário?

Com essas perguntas respondidas, fica bem mais fácil de construir a agenda. Você terá de fazer umas contas de padeiro: pegue o total de tempo que terá disponível e quebre em no mínimo 3 partes: início, meio e fim. Não precisam ser blocos de tamanho idêntico, mas o tempo que você determinar deve ser adequado para a condução de cada atividade, embora muitas atividades sejam “flexíveis”.

Eu costumo colocar esta agenda em um PPT e apresento ela logo no início do evento, para deixar todos cientes e para mostrar que o tempo de execução de cada bloco importa, ou seja, que você vai ser um tanto rígido para que consigam cumprir todos objetivos.

Tempo recomendado?  Você pode combinar atividades de team building simples em todo tipo de evento do seu time, mas se quiser fazer algo dedicado a team building, sugiro no mínimo um turno (manhã ou tarde) inteiro e no máximo um dia inteiro de trabalho. Imersões de mais de um dia são possíveis, mas tendem a diminuir os resultados lá pela metade do segundo dia. Experiência de quem já participou de algumas imersões, de até 4 dias.

Você pode aproveitar a apresentação da agenda para mostrar os combinados do evento também. Não julgar, foco nas dinâmicas, sair do local para atender celular, etc. O que é combinado com antecedência não fica chato de cobrar depois.

Local

Via de regra, sair do local de trabalho é sempre uma boa se você quiser que as pessoas realmente estejam “presentes” no team building.

Falando de infraestrutura, varia muito conforme as dinâmicas que for fazer. Um Marshmallow Challenge, por exemplo, exige mesas. Já um Jogo dos Símbolos, exige cadeiras e um espaço aberto para montar o esquema do jogo. Estude bem as dinâmicas que pretende aplicar para que possa escolher o local adequadamente.

É bom que neste local você tenha um canto para deixar água, café e talvez algo para “beliscar” sempre próximo das pessoas, o que evita que elas se ausentem frequentemente por motivos simples como se hidratar ou se “cafeinar”.

Energyzer e Ice Breaker

Existem dois tipos de dinâmicas que são presença obrigatória em Team Buildings: energyzers e ice breakers.

Os energyzers são para levantar o astral, fazer o pessoal se mexer e geralmente são utilizados quando o dia está meio parado demais, quando sente-se que o ânimo da galera está baixo ou apenas quando se quer “quebrar o padrão”. Qualquer atividade que faça as pessoas levantarem de suas cadeiras e mexerem um pouco (ou muito) o corpo, já resolve. Atividades como Corrente Humana, Campeonato de Jo-Ken-Pô ou dinâmicas com balões já resolvem.

Já os ice breakers possuem o intuito de fazer as pessoas darem risadas, conhecerem umas às outras e criar algum tipo de sinergia entre os participantes, mesmo que seja o primeiro dia deles juntos. Ao contrário dos energyzers que podem ser usados a qualquer momento, ice breakers costumam ser usados no início do dia apenas. Dinâmicas como o Brasão Pessoal, Paulo Pontual o até 2 Verdades 1-Mentira dão conta do recado.

Inclua uma quantidade suficiente destas dinâmicas conforme a duração do seu team building. A sugestão é ter uma de cada, no mínimo, para cada dia de team building. O ice breaker no início da manhã e o energyzer na volta do almoço.

Objetivo Central

Cada team building deve ter um objetivo claro, como já citei lá na preparação. Baseado nesse objetivo você vai construir o núcleo central do evento, geralmente executado após alguma apresentação ou dinâmica menor, que serve de aquecimento.

Para que o objetivo central seja alcançado com sucesso, é importante que a dinâmica escolhida seja poderosa, provoque nos integrantes os sentimentos, situações, conflitos e aprendizados que você deseja para alcançar o objetivo central. Sua escolha é crucial para o sucesso do mesmo.

Com a(s) dinâmica(s) escolhida(s), tenha muita atenção ao briefing que você vai dar, como vai explicar a dinâmica para todo o grupo. Muitas dinâmicas excelentes produzem resultados desastrosos se não forem bem explicadas. Se envolverem algum tipo de competição, pior ainda.

Além do briefing, é importantíssimo o debriefing ao final da dinâmica. Dinâmicas sem aprendizados compartilhados em uma boa sessão de debriefing (boa, não necessariamente longa) acabam virando apenas diversão. E diversão pode até fazer parte do team building, mas não é o objetivo central.

Questione o que eles aprenderam. Como se sentiram. O que fariam de diferente. O que podem fazer de analogias com o que acontece no dia a dia da empresa. O que notaram agora que não tinham notado antes. O seu papel enquanto facilitador aqui é fazer as perguntas certas, para que as pessoas se exponham e todo o grupo ganhe com os aprendizados coletivos.

Marshmallow Challenge
Marshmallow Challenge

Feedback

Pensando em melhorar continuamente (kaizen na veia), é muito importante coletar o feedback dos participantes. Tanto na hora, ao encerrar o evento, quanto mais tarde, com mais calma, via surveys online ou similares.

Nada de mirabolante aqui. Faça um mix de perguntas abertas e fechadas que não tem erro. Agradeça todo tipo de feedback, positivo ou negativo, aprenda com seus erros, considere as sugestões e melhore no próximo.

Repertório

Você deve ter notado que mais de uma vez eu falei nomes de dinâmicas. Talvez você conheça algumas que citei, talvez não. O fato é que ter um bom repertório de dinâmicas é essencial para um agilista (Scrum Master, Agile Coach, etc) ou para qualquer pessoa em função de facilitação, como treinadores, professores, consultores e por aí vai.

O repertório de dinâmicas do facilitador é que nem uma caixa de ferramentas. Quanto mais equipada ela estiver, em mais situações diferentes ela se tornará útil. Abaixo, listarei algumas fontes de inspiração para dinâmicas e ferramentas que uso e se tiver outras sugestões, deixe nos comentários!

Você não precisa saber de cor estas dinâmicas, mas sim saber onde procurar. Pelo menos é a forma como eu trabalho a construção de meus eventos de team building e treinamentos em geral. Espero que esse artigo tenha lhe ajudado a organizar os seus.

Um abraço e até a próxima!

* OBS: curtiu o post? Então dá uma olhada no meu livro de Scrum e Métodos Ágeis e/ou no meu curso sobre o mesmo assunto, onde ensino algumas dinâmicas que você pode fazer com seu time!

Curso de Scrum e Métodos Ágeis
Curso de Scrum e Métodos Ágeis

O que achou desse artigo?
[Total: 0 Média: 0]

Publicado por

Luiz Duarte

Pós-graduado em computação, professor, empreendedor, autor, Agile Coach e programador nas horas vagas.