Benefícios ao Aplicar Gamificação em Coaching, Mentoria e Facilitação de Equipes

O artigo de hoje é muito especial. Não apenas pelo conteúdo em si que está muito bom, mas porque é um guest post. A Gabi Oliveira e eu trabalhamos juntos por mais de um ano durante a Transformação Digital do Agibank. Atuávamos junto ao time de Governança de TI, ajudando a transformar a estrutura organizacional e a evoluir a maturidade dos times, ao mesmo tempo que tínhamos de manter o tracking dos projetos e metas de uma TI que chegou a ter mais de 400 pessoas em mais de 50 times ágeis.

Hoje vivendo em Portugal (que inveja hein!), ela vem se especializando em gestão de projetos e consultoria, aplicando principalmente serious games como 7 Bricks, Go Minimal e muito mais. E é sobre essas técnicas inovadoras o artigo de hoje.

Com vocês, Gabi Oliveira!

Coaches, Agile Coaches, Mentores e Facilitadores são desafiados a todo o momento ao guiar indivíduos e equipes na solução de problemas ao passo que ajudam pessoas de diferentes perfis a trabalhar em conjunto, a desenvolver um produto, a ter clareza diante de um obstáculo e identificar juntos uma saída. São os super-heróis que ajudam as pessoas a encontrar as respostas nelas mesmas para os seus desafios.

Em experiências anteriores juntamente com o Luiz Duarte, já havia percebido e vivenciado os benefícios da gamificação para engajar equipes e encontrar soluções criativas de forma divertida em situações sérias como as mencionas acima.

Percebo que o uso dos jogos e seus elementos em ambientes sérios como o coaching e a facilitação, proporcionam um complemento ao trabalho dos profissionais da área e atraem os indivíduos e equipes a dedicar-se a um objetivo de forma voluntária.

O que é a gamificação?

A gamificação trata-se do uso de elementos de jogos em ambientes não convencionais de jogos. Está relacionado ao “aprender brincando”, ao lúdico. No ambiente organizacional pode ser aplicado para ensinar, motivar e engajar de forma mais divertida e, também auxilia no design de soluções para nossa vida pessoal.

Todos sabemos que jogos são divertidos e convidativos, mas o que se ganha com a sua aplicação? 

Abaixo ressalto 4 benefícios na aplicação da gamificação em ambientes sérios:

  • Motivação e engajamento de forma mais divertida: ao utilizar elementos de jogos para quebrar o gelo em uma reunião, ao realizar uma formação com os colaboradores ou ao solucionar problemas, gera-se um ambiente seguro que permite com que todos criem sem medo. Pode ser aplicado também para fidelização de clientes e para aprimorar a experiência dos mesmos ao consumir um produto ou serviço.
  • Solução ágil de problemas: ao utilizar elementos de jogos permitimos que os indivíduos pensem de uma forma diferente, visto que passam a atuar num mundo fora do convencional. Dessa forma é possível criar cenários, estimular o pensamento divergente e, posteriormente trazê-los ao mundo real convergindo para as possibilidades de soluções a serem aplicadas.
  • Estímulo a criatividade: Os elementos de jogos estimulam a criatividade por expor as pessoas a novas experiências e permitem que possam identificar soluções diferentes das que criariam ao escrever conceitos ou através de uma sessão tradicional de brainstorming, por exemplo. 
  • Desenvolvimento de competências: o uso de jogos se trata de trabalho sério. Ao jogarmos estamos solucionando desafios por um objetivo maior: salvar a princesa, realizar a colheita no FarmVille, organizar as peças no Tetris. Por consequência, ao longo da jornada da aplicação de jogos sérios, passamos a desenvolver competências como aprender a criar cenários a partir de metáforas do jogo, priorizar, tomar decisões, atuar em ambiente seguro, trabalhar em equipe, exercitar a comunicação.

Livro para Agile Coaches

Mas como os coaches, mentores e facilitadores podem utilizar os elementos de jogos para guiar as pessoas na solução de seus problemas?

Pode-se aplicar elementos isolados, como a pontuação por cada tarefa realizada como forma de criar um processo de automotivação e até mesmo jogos completos desenvolvidos diretamente para solução criativa de problemas.

Um exemplo prático de ferramenta é o jogo Go Minimal. Trata-se de um convite a ação através de um jogo compostos por 42 perguntas estratégicas que entrega um planejamento como resultado final.

O jogo é baseado no conceito de menor ação possível, similar ao mínimo produto viável do conceito lean start up. Ao longo das 7 formas diferentes de jogar, o player é conduzido a pensar no mínimo necessário para que um projeto seja executado, para agir imediatamente com os recursos que já estão disponíveis.

Com o Go Minimal o cérebro passa a utilizar a criatividade para planejar uma nova situação, para execução de algo simples, porém sem perceber que uma mudança está sendo feita, como um avião que passa despercebido por um radar. O planejamento colabora para a gestão das emoções, visto que proporciona clareza sobre como colocar um sonho e projeto em prática, reduzindo assim a ansiedade e insegurança.

Ao utilizar de uma ferramenta como um jogo para a análise de um desafio e definição de próximos passos, passamos por unir equipes, proporcionar confiança, visto que os jogos atraem as pessoas a participar de forma voluntária e passam a aproximar-se ao trabalhar juntas em busca da realização de um objetivo comum.

Aos coaches, jogos como esse são ferramentas a apoiar as primeiras sessões, ao conhecer o coachee e ao auxiliá-lo a pôr em prática os seus primeiros desafios e projetos, mesmo diante de atitudes simples, como dedicar-se aos estudos, a ler um livro ou planejar uma viagem.

Da mesma forma, agile coaches, scrum masters e facilitadores podem beneficiar-se ao utilizar do Go Minimal ao apoiar times na criação de produtos e serviços e para solucionar problemas de equipe através das perguntas propostas. As perguntas do jogo também podem ser utilizadas para facilitar reuniões e cerimônias ágeis, realizar debriefing e guiar a comunicação.

E como você proporciona novas experiências para seus coachees e sua equipe? Que ferramentas utiliza para estimular a criatividade? Tem exemplos em que tenha utilizado elementos de jogos para solucionar problemas?

Comente sobre a sua percepção do uso de jogos sérios e caso tenha interesse em utilizar o Go Minimal como uma ferramenta de trabalho, entre em contato. Ao tornar-se um facilitador terá o jogo à sua disposição para dar um upgrade nos seus processos de coaching e facilitação.

www.gabioliveira.pt

@gabioliveira.pt

E aí, o que acharam? Deixem os seus comentários que eu terei o maior prazer em repassar à ela!

Um abraço e sucesso.

Gostou do artigo? Conheça meu curso de Scrum e Métodos Ágeis clicando no banner abaixo!

Curso de Scrum e Métodos Ágeis

Publicado por

Luiz Duarte

Pós-graduado em computação, professor, empreendedor, autor, Agile Coach e programador nas horas vagas.