Terceirizando online com estrangeiros

Capture
Recentemente comprei a versão atualizada do “Trabalhe 4h por Semana“, do Tim Ferriss, e em um dos capítulos ele fala com veemência do poder de eliminar suas tarefas tediosas terceirizando-as para estrangeiros, usufruindo da chamada geoarbitragem, onde se ganha dinheiro em uma moeda forte e se gasta em uma moeda fraca. Esse comportamento, que ele chama de “Eliminação” é uma das bases para o seu processo de trabalhar 4h por semana e faturar como se estivesse trabalhando 40h.

Basicamente a geoarbitragem, conceito que ele cita várias vezes ao longo do livro, funciona assim: com o Busca Acelerada eu recebo em dólares, pagos pelo Google pelos anúncios veiculados no site (uma técnica bem comum e monetização de conteúdo). Dólar é uma moeda forte. Eu vivo no Brasil, onde gasto em Reais, que é uma moeda fraca. Inspirado pela ideia apresentada no livro de terceirizar online algumas tarefas tediosas, porém necessárias, que decidi usar pela primeira vez o site Freelancer.com, buscando novamente ganhar com a geo-arbitragem, pagando alguém cuja moeda seja ainda mais fraca que o Real.

E consegui!

Freelancer.com

Eu já conhecia o site há vários anos, mas do outro lado da moeda, como freelancer. Basicamente é um hub mundial que conecta freelancers das mais diversas áreas (principalmente tecnologia, arrisco dizer) a contratantes interessados nos mais variados serviços. Quer contratar um vietnamita para fazer seu site? Um programador da República Checa para criar um software? Ou um especialista em HTML scrapping da Venezuela para turbinar seu crawler de carros? Esse último foi exatamente o que eu precisava e contratei. E deu muito certo!

Basicamente você se cadastra na plataforma e cria seu projeto. Define um budget e abre a concorrência para o mundo (ou define os países, você que sabe). Em questão de horas seu projeto vai ter vários freelancers interessados, fazendo as suas propostas para conseguir o trabalho. A ferramenta fornece um serviço de chat para conversar com os interessados e responder dúvidas e quando você define quem fará o trabalho para você, ela ajuda também na gestão do mesmo.

Resumindo, encontrei um venezuelano que topou trabalhar um dia para mim por U$15, em uma tarefa altamente específica. Um cara formado em computação, que trabalha no Banco Central da Venezuela, com vários anos de experiência. Por U$15. Ou R$49,50 na cotação de hoje (3.3:1), mas que pra ele significa quase 150 bolívares venezuelanos, uma moeda bem fraca atualmente. Geoarbitragem. Eu amo essa palavra.

Eu já havia terceirizado o desenvolvimento de expressões regulares no passado, mas para programadores brasileiros. Fui bem sucedido, mas os custos ficaram 4x maiores do que nessa minha mais recente experiência que relato neste post.

Gerenciando o trabalho remoto

Meu problema era bem simples: eu precisava de alguém que criasse 4 expressões regulares para fazer HTML scrapping de 4 sites diferentes relacionados à carros, para agregar ao portfolio do Busca Acelerada. Queria que isso fosse feito em um dia, pois eu levaria este tempo para fazê-lo, e queria gastar pouco, porque se fosse para gastar muito, eu mesmo fazia.

A ferramenta online de gestão do projeto fornecida pela Freelancer.com permite que você suba arquivos, então montei um TXT com instruções para cada site (como URL de exemplo e instruções adicionais) e imagens dos sites que seriam “crawleados” com sinalizações de quais informações eu queria e como elas deveriams e chamar nas expressões regulares (named groups). Subi todos os arquivos e mais um “softwarezinho” que desenvolvi que permitia ao desenvolvedor testar o trabalho dele sem conhecer o restante do meu projeto.

Sim, eu não queria que um estrangeiro tivesse acesso aos meus fontes, principalmente o motor de busca, então a tarefa era bem específica e atômica. Apenas 4 regexes.

A ferramenta te obriga a pagar adiantado, usando PayPal, e o saldo fica na sua conta com umas pequenas taxas que não chegaram a U$4. Depois, o Freelancer.com permite que eu defina milestones baseado em tarefas, que após a conclusão de cada um, representará uma parte da grana sendo entregue ao freelancer que você contratou. No meu caso, como era apenas um dia de trabalho, defini apenas um milestone do valor total, que liberei no dia seguinte após me certificar que o trabalho foi executado com sucesso.

Se você, assim como eu, gosta de processos, os Métodos Ágeis de desenvolvimento são a melhor opção para trabalho remoto. Falo bastante disso aqui no blog e no link acima você encontrará vários posts sobre o assunto.

Outra opção é uso de terceiros estrangeiros para criação de MVPs, conforme instruções da metodologia Lean Startup.

Conclusão

Ou seja, é bem fácil gerenciar o projeto por lá, ao menos quando são tarefas bem claras. Ok, eu e ele conversamos no chat diversas vezes, pois não fui tão claro quanto supunha (afinal era um brasileiro conversando com um venezuelano em Inglês), mas correu tudo bem e certamente contraria o mesmo profissional novamente e com certeza usaria o Freelancer.com novamente.

Lembro de certa vez ouvir em uma entrevista do Tallis Gomes (fundador do Easy Taxi) que a primeira startup dele (Code Samurai ou algo assim) era uma empresa que desenvolvia software para terceiros, essencialmente uma fábrica de softwares, mas com apenas dois funcionários, ele e um amigo. E nenhum dos dois programava. Como? Apenas terceirizando projetos para indianos e outros povos cheios de especialistas em programação mas cujo custo por hora era baixíssimo. E isso é algo perfeitamente possível usando empresas como o Freelancer.com.

Estou até pensando no próximo projeto, mas desta vez quero ver se consigo um indiano ou alguém cuja moeda valha ainda menos que a da Venezuela, para tirar ainda mais proveito da geoarbitragem sem perder em nada da qualidade da execução e me deixando com mais tempo livre para focar no que mais importa para meus projetos, que é a administração dos mesmos.

Atualização em 16/12/2016: Os resultados deste outro projeto terceirizado você pode conferir neste post.

O que achou desse artigo?
[Total: 2 Média: 5]

Publicado por

Luiz Duarte

Pós-graduado em computação, professor, empreendedor, blogueiro, autor, palestrante e programador.