Padrões de Arquitetura de Aplicações Corporativas – Resenha

Quem me conhece sabe que eu não leio muitos livros de programação. Isso é curioso para alguém que trabalha há 11 anos com programação, mas sim, eu não costumo ler livros de programação. Isso não quer dizer que eu não leia nada à respeito, é claro. Eu leio muito em diversas fontes, atualmente muito no Medium, aliás. Como estou sempre envolvido com um projeto ou outro, acabo aprendendo conforme a demanda surge, fazendo algo parecido com a Dieta Pobre de Informação que o Tim Ferriss sugere no livro dele.

No entanto, existem alguns livros que considero leituras altamente recomendadas e que me ajudaram muito enquanto programador. Além disso, existem alguns autores que eu realmente recomendo pois são profissionais incríveis que contribuíram e ainda contribuem para a evolução da forma como desenvolvemos software. Um desses livros é o Padrões de Arquitetura de Aplicações Corporativas. Um desses autores é Martin Fowler, o autor desse livro aliás.

O Livro

O PEAA (da sigla em Inglês Patterns of Enterprise Application Architecture) não é o livro mais clássico sobre o assunto e também não é o mais famoso. Esse título pertence ao Padrões de Projetos da Gang of Four. No entanto, nesta década de experiência que tive desenvolvendo os mais inúmeros sistemas, nas mais diversas plataformas, o PEAA sempre me foi mais útil que o Padrões de Projeto, por isso que estou recomendando ele hoje.

É um livro imenso, com quase 500 páginas, que cobre aproximadamente 40 padrões de arquitetura de software recorrentes em diversos cenários. Mas ele não é apenas um listão de padrões, ele é extremamente bem organizado em seções de acordo com o contexto do problema que está querendo resolver (domain logic, data source, web presentation, etc).

E o autor não fica apenas nos conceitos mas mostra exemplos de código bem como diagramas UML para facilitar o entendimento de cada padrão. Além disso, ao contrário da sua contraparte mais antiga, é possível ver mais claramente a aplicação de cada padrão em cenários existentes nos projetos atuais. Não que isso diminua o Padrões de Projeto da GoF, mas sim que os padrões do catálogo PEAA são mais recorrentes, e até mesmo possui alguns em comum.

Esse não é o tipo de livro que você pega e lê da primeira página à última. Tenho um exemplar há uns 4 anos e certamente não li ele inteiro ainda. É o tipo de livro no qual você busca apoio quando tem algum problema arquitetural difícil de solucionar. Você até pode correr por suas 492 páginas dando uma “olhada geral” nos padrões e entendendo os principais em um nível mais alto, mas dificilmente vai gostar da leitura se lê-lo do jeito tradicional.

Enfim, é um excelente livro, o melhor que já li sobre arquitetura de software.

O Autor

Eu sou suspeito para falar de Martin Fowler. Durante a minha ascensão enquanto programador, de estagiário à gerente de projetos, eu consumi muito conteúdo desse autor, especialmente de seu blog o martinfowler.com. Esse engenheiro é simplesmente genial, estando à frente de projetos na ToughtWorks há décadas e mais de uma vez já pensei em aceitar propostas de emprego na TW só para ter a oportunidade de trabalhar com ele em algum projeto.

Ele não é apenas um programador genial, que muito me espelhei durante os anos iniciais aprendendo programação, mas ele também é um exímio gerente de projeto, estando entre os signatários originais do Manifesto Ágil, que oficializou o uso destas práticas pouco ortodoxas de desenvolvimento de software ao redor do mundo com frameworks como Scrum e XP.

Fowler é ainda autor de grandes citações sendo a minha favorita: “Bons programadores escrevem programas que máquinas entendem. Programadores excelentes escrevem programas que humanos entendem.“. Essa frase balizou muitas decisões de projeto em toda minha carreira, para dizer o mínimo. Recentemente estava lendo alguns excelentes artigos em seu site e me senti novamente um aprendiz de programação frente ao seu nível de conhecimento.

Poucos profissionais nesse mundo são capazes de me impressionar assim, sou do tipo difícil de agradar, mas esse autor com certeza é o meu favorito quando o assunto é programação. Espero um dia lançar um livro que ajude tanto os programadores quanto ele faz.

Espero que vocês gostem da recomendação também.

Curtiu o post? Então clica no banner abaixo e dá uma conferida no meu livro sobre a arquitetura microservices com Node.js!

O que achou desse artigo?
[Total: 10 Média: 4.4]

Publicado por

Luiz Duarte

Pós-graduado em computação, professor, empreendedor, autor, Agile Coach e programador nas horas vagas.